Responsável

Mariana Kiomy Osako
Professora Doutora – Ms 3

Tel.: (16) 3315-3346

Email: mko@fmrp.usp.br

» Currículo Lattes
» Fapesp

Linhas gerais

Investigação da sinalização RANK-RANKL como mediador endócrino do osso em diferentes órgãos especialmente na biogênese mitocondrial e seu impacto na diferenciação dos adipócitos beges, imunometabolismo com enfoque na polarização de macrófagos entre os estados pró e anti-inflamatório, e na diferenciação do músculo estriado esquelético.

Linhas de pesquisa

O sistema RANKL consiste em uma tríade de proteínas composta de dois receptores: RANK e Osteoprotegerina (OPG), e um ligante: RANKL. Este sistema é comumente relacionado ao metabolismo ósseo, porém, está presente em diversos tecidos e regula a comunicação entre células imunológicas, desenvolvimento de glândulas mamárias e, recentemente, demonstramos sua atuação na calcificação das artérias, e prevenção da morte neuronal após isquemia cerebral.

OPG tem sido considerada um biomarcador em obesidade, diabetes tipo 2, doenças cardiovasculares e isquemia cerebral, mas o mecanismo biológico que explique o aumento no nível da OPG nestas diferentes patologias ainda não foi esclarecido. Nosso objetivo é avaliar a via de RANK-RANKL em macrófagos, tecido adiposo e músculo esquelético no contexto fisiológico e de resistência à insulina.

1- 1) Mudança fenotípica de macrófagos na inflamação do tecido adiposo:

O tecido adiposo de indivíduos obesos apresentam grande infiltrado de macrófagos pró-inflamatórios (M1), que contribuem para a resistência à insulina neste tecido. Nosso objetivo é elucidar o mecanismo molecular da sinalização RANKL responsável por interferir na via de TLR4 e inibir o perfil M1, e avaliar sua contribuição na inflamação do tecido adiposo em modelos murinos de diabetes tipo 2 induzida por dieta. 

2- 2) Diferenciação do tecido adiposo bege e suas vias de sinalização

A diferenciação do adipócito branco para adipócito bege em processo conhecido como browning é considerada alvo terapêutico para tratar a obesidade e doenças relacionadas, pois os adipócitos beges apresentam baixo acúmulo de gotículas de lipídeos, capacidade termogênica, e aumento do gasto energético já que dissipam a energia oriunda da respiração celular em forma de calor. Investigamos a adipogênese e diferenciação do adipócito branco e bege, e as vias de biogênese mitocondrial reguladas por RANKL e elucidar possível interção entre o osso e o tecido adiposo.

3-3) Diferenciação e determinação do tipo de fibra muscular estriada esquelética

Investigamos as vias de biogênese e degradação mitocondrial para a determinação do tipo de fibra muscular estriada esquelética em camundongos OPG knockout ou heterozigoto para compreender o mecanismo molecular de interação entre o metabolismo ósseo e muscular, e a influência do eixo RANK-RANKL na resposta à insulina nestas células, já que problema na captação de glicose pelo músculo esquelético, além do tecido adiposo, é alvo para o tratamento de diabetes tipo 2.

Publicações

» Scholar